Dreams are renewable. No matter what our age or condition, there are still untapped possibilities within us and new beauty waiting to be born.

-Dale Turner-

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Slow down, you crazy child.


- Let us die young or let us live forever,

Mãe,

Perdão, mas não pude esperar. A espera tem muito de expectativa e pouco demais de experiência. Me fartei de criar meus medos a pão-de-ló, envenenei a todos. Homicídios frios e calculados. Talvez encontres seus cadáveres inúteis, vítimas de cicuta, nas palavras vazias que escrevi, espalhadas nos papéis avulsos de minha bagunça. Agora? Eu corro. Não sei voar, mas andar já me deixava mais distante do céu do que me é suportável. Corro porque não caibo em mim. Porque preciso me gastar pra que não transborde o meu eu. Corro, porque tenho pressa. Porque a eterna juventude não pode e nem quer me esperar; só correndo posso alcançá-la. Corro porque quero esse frescor batendo em cheio em meu rosto. Porque quero tragar com força esse ar pulmão à dentro, porque quero esse barulho de tempestade para a trilha sonora de minha vida. E por que corro, não tenho mais tempo de dizer nunca. “Nuncas” pressupõem justificativas, e estas demoram demais para caberem em uma juventude. Escrevo para dizer-te que vou vivendo assim mesmo. Sem olhar pros lados, porque quero meu rosto dourado virado para o sol. A senhora consegue imaginar? A vitória dessa corrida? Glória pra quem correu. E então, as aventuras que não puderam acontecer hoje, as canções que eu esqueci de cantar, esses sonhos que andam vagando à espera de quem os adote, deixaremos que sejam paridos por nossos feitos.Mais uma vez, perdão. Mas não esqueça, eu te amo. Só não pude esperar, eu não me permiti. É morrer jovem, ou viver para sempre.


-You’ve got your passion, you’ve got your pride. But don’t you know that only fools are satisfied? Dream on, but don’t imagine they’ll all come true. When will you realize? Vienna waits for you,

Filho querido,

Não pense que condeno tua pressa. Não. Não serias o meu menino sem ela. Mas verás que a eterna juventude já reconheceu teu mérito e, cedo ou tarde, estará esperando-te com o prêmio, honrada por te entregá-lo. Não te esqueças que eu conheço teus sonhos. Foi em meu colo que teu sono os forjou. Eu me lembro da metrópole que sempre os habitou, e nunca me enganei. Sempre esteve comigo, a certeza de que nada menor te bastaria. Fui egoísta, confesso. Temi por mim e não por ti. Temi a dor de não te ter. De te perder para o mundo. Mas minha tutela sempre foi provisória, um favor que a vida fez e que eu, não tenho vergonha em admitir, aproveitei com a intensidade de quem tem alguns anos pra viver a eternidade. A tutela que era provisória, agora é esporádica, pois podes ter certeza este abraço não cansa de abrir para ti.
Mas criança, vá devagar. Respeite os seus medos, pois não mataste a todos. Ou achas que eu não consigo ver que os olhos assustados do garotinho nas madrugadas de pesadelo, escondem-se por detrás dessas pupilas deste homem tão distinto e perspicaz em frente a mim? Quem corre demais pode tropeçar, ou exaurir-se antes da metade do caminho.Tu não podes ser tudo o que queres apenas no intervalo de um passo e outro, tu não precisas. Tens toda uma estrada para mudar, e não te preocupes em se perder, porque o caminho certo é o que escolheres. Diminua, sem medo. Pare para divagar. Permita que corram contigo, e aprecie a vista ao redor. Você está indo bem, só precisa aprender a importância de se deixar perder um dia ou dois. Correrá mais rápido, na volta. Tenho em mente que provavelmente serei acusada de ser um clichê, mas mães, graças a deus, continuarão sendo sempre clichês. Por isso, não há vergonha em dizer-te que, o que é teu já está guardado. E podes pegar o que quiser para ti, por isso não corra tanto. Quando é que vais perceber? Aquela metrópole sempre esteve esperando por ti.

Com amor,
Mamãe.

14 comentários:

Anônimo disse...

Ahh Lucas, o que falar ? LINDO ? é pouco! tu me surpreende a cada texto! extremamente lindo! *-* encantador eu diria. 'Quem corre demais pode tropeçar, ou exaurir-se antes da metade do caminho.' Pura verdade! ;) aaah,ia esquecendo,PARABÉNS,mais uma vez!;*

camiLamoRim. disse...

Vou chorar. De verdade. Lindo, lindo.

Daniel Henrique disse...

Muito bom texto mesmo, cara. Excelente. Pessoal, mas de uma forma que todos os leitores podem entender e sentir. Parabéns.

Natália Dino disse...

Não bastasse a pressa que compartilho, porque ando correndo e me percebi urgente - em uma observação crítica que um dia me fizeram na expectativa de que me arrependesse disso-, estaria também me vendo refletida no teu texto em uma simples frase: "A senhora consegue imaginar?"
Chamar os pais de senhor e senhora é tão sutil! Pura maranhensidade! Costume que quero carregar comigo sempre!
Belo texto, ou belos textos, Lucas!

disse...

posso xingar? CARAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAALHO MEU!
Sensacional. E louco também o como vou me identificando com o filho inexperiente e a mãe terna. Porque preciso me gastar pra que não transborde o meu eu. Mas também... Permita que corram contigo, e aprecie a vista ao redor. Você está indo bem, só precisa aprender a importância de se deixar perder um dia ou dois. Correrá mais rápido, na volta.

Muito lindo, muito mesmo.

Leonardo disse...

Eu não vou falar que eu amei o texto, e que tu escreve muito bem, coisa ou outra, porque é clichê demais e todo mundo fala a mesma coisa. Mas é incrível que é um texto que prende o leitor até o final. Me fez lembrar a música: "Ei, mãe, eu tenho uma guitarra elétrica..." (Engenheiros) - não sei porque. Enfim, é merecedor de coluna em jornal!

Lucas disse...

que os donos de jornais te ouçam. seria maravilhoso ganhar dinheiro escrevendo *_* =/
brigaado a toodos (;

Anônimo disse...

Mais uma vez aqui pra falar que este texto é lindo e intenso,e pra te dizer que teus textos passam uma verdade marcante. e pra colocar meu nome,que no primeiro eu esqueci --' haha' bju Alynne Martins

José Samuel de Melo Neto disse...

Acho que tu tens se encontrado melhor nos textos inspirados pelo teu interior, é bom perceber em que estilo o escritor melhor se encaixa (: Belo texto ;).

Anônimo disse...

adorei o texto, você conseguiu passar muito bem essa relação mãe e filho, uma geração e outra geração, lembrei daquela música que Elis canta, "como nossos pais", nem sei se tem a ver mesmo, mas lembrei.Enfim, muito bom o texto, parabéns! ass: Mariana

Gabriella disse...

"... you're so ambicious for a juvenile..."
Adorável...sou suspeita - amo essa música. Realmente os perfis dos personagens representam dois grupos identificáveis, sem chegar a ser um clichê. Gostei mto.

Thi L. disse...

Bom texto, vizinho! hehehe =)
Gostei do estilo...

zema ribeiro disse...

lucas, perdoe o spam, mas não achei teu e-mail:

Grande Encontro de blogueiros e tuiteiros progressistas em São Luís

Leia mais em http://ponteaereasl.wordpress.com/2010/08/30/grande-encontro-de-blogueiros-e-tuiteiros-progressistas-em-sao-luis

Karolline Garcês disse...

Acho que mais pro lado do sim, eu diria. Construção linda, gostei.

parabéns :)